Mais um pensamento...


Tava pensando... Como a gente reclama da vida, já reparou?

Esses dias me peguei olhando pro passado, para algumas coisas que fiz e que achei estar tão cheia da razão no momento. E agora to me sentindo até envergonhada pela postura infantil. É engraçado como isso acontece o tempo todo!

Mas olhando para as coisas que já aconteceram notei uma coisinha: o egocentrismo do ser humano. Já notou que salvo raríssimas exceções, a maioria de nós gasta a maior parte do tempo e energia preocupados apenas com o próprio umbigo?  

Os políticos corruptos “trabalham” apenas pelo próprio benefício. Esses loucos terroristas lutam por uma causa que beneficia quem, exatamente? (Eu não acho que as vítimas desses ataques ficaram lá muito satisfeitas...). O cara que recebe propina para fazer vista grossa com uma situação errada... Tudo benefício próprio...

Copiando descaradamente um camarada da net, as pessoas passam a maior parte do tempo querendo “ser o mais rico, o mais poderoso, o mais lindo, viver num paraíso, ter milhões de escravos, ser o melhor, o mais famoso, viver, curtir, ter tudo do bom e do melhor, e tudo isto sem ao menos se importar com os outros” OU trabalhar para que tudo isso se concretize.

Assim tá fácil, não é, galera?

Enfim. O que eu queria dizer é a gente reclama demais. De tudo. Tem neguinho aí se estressando por pouca coisa. Estressando por pouca coisa quando há tanto para se agradecer!

Poxa vida, se estou escrevendo isso aqui, é porque, por acaso ou não, eu estou VIVA! E isso é algo ótimo só para começar. Não nos falta nada! Temos teto, temos comida, temos família, amigos, trabalho... E daí se na garagem não se encontra o carro do ano? E daí se meu pai ainda não conseguiu ganhar na mega sena? Se... Se... Se não possuímos tudo aquilo que querem nos fazer acreditar que necessitamos mais do que tudo?

Para ser feliz não é preciso muito. Para viver bem não é preciso luxo.  Para se conquistar qualquer coisa, grande ou pequena, é preciso esforço, dedicação e foco.

E antes de tudo isso...: Fé.

3 comentários:

  1. Viiii, eu tenho praticado a gratidão e isso faz bem.
    Diariamente, ao me deitar, agradeço a Deus por tudo, falo do fundo do coração.
    Antes disso, comecei a praticar o desapego, que é dar valor ao que se tem, mas acima de tudo às vidas, minha e todos que me cercam. Desapego no sentido de desprendimento, da libertação, especialmente contra o egocentrismo. É complicado explicar isso, porque se sente e depois manifesta. É como uma evolução espiritual.

    Infelizmente, vejo um mundo cada vez mais egoista, individualista, que fala muito bonito e pouco se faz de fato.

    Obs.: o seu blog está otimo, parabens.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Viiii, eu tenho praticado a gratidão e isso faz bem.
    Diariamente, ao me deitar, agradeço a Deus por tudo, falo do fundo do coração.
    Antes disso, comecei a praticar o desapego, que é dar valor ao que se tem, mas acima de tudo às vidas, minha e todos que me cercam. Desapego no sentido de desprendimento, da libertação, especialmente contra o egocentrismo. É complicado explicar isso, porque se sente e depois manifesta. É como uma evolução espiritual.

    Infelizmente, vejo um mundo cada vez mais egoista, individualista, que fala muito bonito e pouco se faz de fato.

    Obs.: o seu blog está otimo, parabens.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Acho que é uma evolução espiritual mesmo Sissym. E olha, como nos sentimos mais leves quando alcançamos esse nível de paz, viu?
    Além disso que contei aí em cima, foi uma experiência muito intensa perder um ente querido em dezembro passado. De lá para cá muita coisa em mim mudou também nesse sentido.
    Atualmente, geralmente, cada dia em que levanto tenho a sensação de 'Se eu morrer hoje, vou em paz.'
    Algumas pessoas podem achar esse tipo de pensamento esquisito, mas é tão gostoso.
    Isso está relacionado às nossas ações principalmente. Quando estamos de bem (com os outros e conosco), quando podemos ter o privilégio da 'consciência limpa', é gostoso demais. E é uma coisinha tão simples, mas mesmo assim, faz com que valorizemos mais aquilo que temos. Faz com que agradeçamos mais (como você disse) e tenhamos a consciência de que não é preciso pedir tanto. Que não se trata apenas de nós nessa vida.
    Beijos grandes

    ResponderExcluir